terça-feira, 27 de março de 2012

Para sermos grandes temos mesmo que ser inteiros!

Para ser grande, sê inteiro: nada
Teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa. Põe quanto és
No mínimo que fazes.
Assim em cada lago a lua toda
Brilha, porque alta vive

                  Ricardo Reis

Cada vez mais me causam impressão as pessoas que "se arrastam pela vida"... O que quero dizer com isto? Todos nós conhecemos pessoas assim, que passam o dia a arrastar as horas, a fazer o mínimo possível e a lamuriarem-se da vida e do trabalho. Ás vezes penso que, se calhar, também já fui assim há muitos anos atrás  mas felizmente a vida ensinou-me (não da melhor maneira) que temos que trabalhar muito, lutar mais ainda e acreditarmos que seremos capazes de ultrapassar as dificuldades. Muitas dessas pessoas até podem nem ter muito do que se queixar, mas e se tiverem? Fazem alguma coisa para mudar as suas vidas? As que conheço não... continuam a viver agarradas à sensação de incapacidade que se instalou nos seus cérebros e nas suas personalidades...Até devem ter muitas coisas boas que as deviam fazer sentirem-se gratas, mas infelizmente só conseguem ver e falar sobre os aspectos negativos tanto delas próprias como dos outros. Depois justificam-se com frases do género: "Eu não posso fazer nada... estamos em crise..." Eu, mais do que muitas pessoas, sei bem o que é estar em crise. E por isso mesmo peço, principalmente aos jovens, que lutem pelas suas vidas. Não vivam agarrados às vidas dos pais para sempre... Até podem não existir grandes oportunidades de trabalho na área em que se estudou. Mas até que essas oportunidades surjam, façam outras coisas, arranjem outro emprego, façam voluntariado, agarrem-se a alguma causa na qual acreditem.
Sermos e sentirmos que somos úteis torna-nos instantaneamente pessoas melhores.
Se tivermos um emprego do qual não gostamos muito, devemos ser gratos por estarmos a trabalhar quando tantas pessoas estão desempregadas. Podemos continuar a lutar por um sonho, a concorrer para o que julgamos ser a nossa verdadeira vocação. Se não nos acomodarmos e acreditarmos que tudo é possível, as coisas acontecem...
 E tentarmos não nos queixar tanto, agarrando-nos às coisas boas que temos, inovando, dando o nosso máximo, sem perdermos a nossa energia e força interior, mas sem deixarmos que outras pessoas (essas negativas de quem falo :)) as retirem de nós também...Vamos exagerar e brilhar, para podermos melhorar as nossas vidas!! E como diz o outro: "Agora pensem..."



1 comentário:

Rita disse...

so right ;)...ter tido em algum momento da nossa vida um VERDEIRO problema ensina-nos a relativizar chatices e a valorizar as tais pequeninas grandes coisas
Eu cá corro atrás da felicidade sem dó nem piedade (mesmo que 90% das pessoas não entendam as nossas escolhas).
Muitos beijos Aninha...keep going